Presentes

Vamos aproveitar o Natal, que é aquela época especial em que você troca presentes com parentes e amigos, para falar sobre o símbolo máximo dessa data festiva: o presente.

(Vai me dizer que você passa o mês de dezembro inteiro pensando, exclusivamente, em Jesus?)

Se você quer medir o quão “saudável” é seu relacionamento amoroso, analise os presentes que você ganhou de seu/sua amado/a. A pessoa procurou te presentear com algo que fosse a sua cara, sem te perguntar se era aquilo que você queria? Ou você ficou com a sensação de que ela foi até a loja, fez “uni-duni-tê” e comprou a última coisa que o dedo dela apontou quando ela terminou de dizer “o escolhido foi vooooo-cê”? Se a pessoa realmente se importa com você, se ela conhece suas preferências (e se elas são usadas como um fator de decisão na hora de presentear), isso será refletido na hora de dar um presente.

Eu já ganhei um monte de presentes bizarros, não só de Natal mas também de aniversário, dia dos namorados etc. Vejamos alguns deles:

  • Os últimos presentes que eu ganhei da minha ex foram praticamente escolhidos por mim. Ela me perguntou o que eu gostaria de ganhar de aniversário! Ora, se você não sabe o que eu gostaria de ganhar — ou o que eu mereço ganhar, ou o que vai me deixar radiante ao abrir o pacote — alguma coisa está errada, não? (Eu também não fazia ideia do que queria ganhar, então pedia pra ela me dar “sei lá, uma camisa ou uma calça”. Ainda bem que eu não tinha que escolher a cor e o modelo também…)
  • Já ganhei um burrinho do Shrek porque, de acordo com a moça, o Fulano, amigo dela, costumava compará-la a esse burrinho. E depois ela ainda queria que eu tivesse algum respeito por ela…
  • A mesma moça, depois, me deu um monstrinho que eu nunca vi mais gordo (e acho que ela também não). Achei que o presente ficou meio com cara de ter sido escolhido na base do “uni-duni-tê”…
  • De outra moça ganhei uma coisa que nem me lembro mais (acho que foi um boné), mas que a moça disse ter comprado porque nunca me viu usando. Se eu nunca usei há uma chance considerável de eu não gostar, não? Já parou pra pensar nisso?
  • Uma vez ganhei um ovo de Páscoa com um coelhinho de pelúcia. Legal, diferente, mas… um coelhinho? Pra um homem? Sei lá, achei estranho.

Presentes “neutros”, como roupas e chocolate, podem indicar que a pessoa não parou pra pensar no que dar de presente, porém se a pessoa acertou na sua cor preferida de roupa e/ou no modelo e tamanho de camisa ou calça que você usa, é um bom sinal. Perfumes são meio complicados pois são muito pessoais, mas se a pessoa comprou um aroma com o qual você se identificar de imediato é um indício de que ela se preocupou em escolher algo que te agradasse. Porém, existe uma lenda que diz que perfumes não são um bom presente para namorado/a (tentei encontrar um link que explicasse melhor essa lenda mas não consegui). Livros são um bom presente, pelo menos pra mim — contanto que não seja um livro do Harry Potter ou da saga Crepúsculo, gosto de quase todos os tipos de livros. CDs e DVDs também são um bom indicativo; se a pessoa deu um CD da sua banda preferida ou um DVD daquele filme especial, pode confiar que o relacionamento vai bem!

Neste Natal ganhei uma frigideira wok da minha noiva. Você pode até achar um presente estranho, mas acho que foi um dos presentes mais bacanas e criativos que eu já ganhei! Sem dizer que é a minha cara; eu gosto de cozinhar, e toda vez que eu ia a uma loja de utensílios domésticos ficava namorando uma dessas frigideiras. Achei bacana o fato de ela ter tido o cuidado de prestar atenção na minha reação ao vê-las e guardar isso pra uma ocasião especial. Além disso, como ela mesma disse, tenho certeza de que vamos aproveitar juntos o presente preparando várias refeições.

Ei, então o presente não foi só pra mim no fim das contas! Espertinha, essa minha noiva…

(De verdade, gostei muito desse presente e não vejo a hora de usá-lo! O almoço de Ano Novo vai ser preparado nele.)

• – • – •

Um Feliz Natal para todos os leitores deste blog! E prestem atenção nos presentes que vocês ganharem, hein?

Explore posts in the same categories: Grandes Lições

4 Comentários em “Presentes”

  1. Isabel Says:

    Eu tenho uma wishlist no blog e, além disso, sempre que vejo algo legal, aviso o namorado. Gosto de facilitar a vida dele =P
    Óbvio que nem sempre ele dá o que eu peço, mas ele utiliza minhas dicas pra escolher algo que vou gostar ^^

    • autoajudasentimental Says:

      Isso ajuda c/ certeza! Acho q vou criar uma wishlist tb, pra facilitar… hahahahah

  2. MariMaroca Says:

    A lenda do perfume diz que o amo acaba quando o frasco acaba…. tem quem deixe um finzinho do perfume sem usar, pro amor não acabar…😛 Já dei perfume uma vez e realmente o amor acabou, mas foi um pouco depois do frasco ter acabado ahhahahahahahahahaha

    Quanto aos presentes, eu já ganhei PANETONE do meu primeiro namorado num Natal em que eu tinha comprado pra ele um box do Poderoso Chefão (que ele era fanático) e uma gravata — tinha gasto mór grana do meu salário de estagiária, mas o problema não era a diferença de preços. Era a diferença entre “carinhos”.

    Na Páscoa seguinte, tinha pedido pra minha mãe trazer do exterior uma caixinha de bombons que ele gostava, mas ele nem lembrou de se preocupar com isso, afinal, eu ganhava chocolates sempre. No dia dos namorados, ele comprou uma jaqueta da Nike que, segundo ele, era a “minha cara” (não sei onde, mas até que gostei). Ele era realmente bom pra presentes… ¬¬.

    No meu último aniversário que passamos juntos, lá pelo fim do dia ele “lembrou”, do nada, que iríamos nos encontrar e foi correndo no shopping comprar “qualquer coisinha”, só pra dizer que se preocupou. Comprou um DVD da cantora que eu mais gosto…. MAS EU ODEIO DVDs!!! Acho um presente não muito original, um refugo na hora do aperto — a menos que seja um box que a pessoa ame. Na hora que ele me deu o presente estava estampado na cara dele: “tó! comprei isso aí rapidinho só pra vc não reclamar que não te dei nada”. E por fim, bradou: “não pensei em nada pra fazermos. Trabalhei o dia todo, não deu tempo. Nem tive tempo de escolher seu presente, fui correndo no fim do dia comprar só pra não passar em branco”.
    Eu: “pensei em passarmos a noite juntos”
    Ele: “Ah não! Tou muito cansado e tenho que trabalhar amanhã cedo!”
    Eu: “Também tenho que trabalhar cedo, mas é meu aniversário! Vamos fazer algo diferente!”
    Ele: “… (suspiro e cara feia)”
    Eu: “OK… Pode me deixar na estação de trem, eu vou embora e vc pode descansar”
    Ele: “Ah, vc não veio até aqui pra ir embora!”
    Eu: “Realmente não. Mas não vim até aqui pra te encontrar nesse mau humor no dia do meu aniversário. Me deixa na estação que eu vou embora (buáaaaaaaa buáaaaaaaaa)”

    Aí me levou num restaurante super chique pra me impressionar, pediu um vinho caro, fez todo aquele teatrinho petulante de quem quer mostrar que entende de vinho (sendo que ele não entendia nada)… mas já era tarde, a noite já tinha sido estragada.

    O presente poderia ter passado batido se a comemoração tivesse sido agradável. Achei uma falta tão grande de atenção e até mesmo de respeito… naquele momento todo o sentimento que eu tinha por ele acabou. Fui assistir ao DVD meses depois…

    Contei toda essa historinha porque acho que ilustra bem o post. A questão não é material, não é o quanto se gasta no presente, mas o cuidado e o carinho que a pessoa teve ao pensar, escolher, ir comprar o presente. Quando a gente gosta de verdade, é fácil. Basta prestar um pouquinho de atenção e a gente se sente bem em se empenhar tanto no presente E quem recebe também SENTE o carinho empenhado. Já quando percebemos que o presente foi comprado mais por “obrigação” que por carinho… ESQUECE! Realmente não há muito mais o que fazer.

    Sim, as datas comemorativas são puramente comerciais. Mas e daí? Já que, no fim das contas, o protocolo do presente vai ser cumprido mesmo…. por que não fazer da escolha do presente algo especial?

    (Meu comentário tá mais pra um novo post eheheheh sorry!)

    • autoajudasentimental Says:

      hahahhaha pois é, acho q vou transformar num post, hein?😛
      Então, mas o ponto é justamente esse: se a pessoa realmente tem carinho pelo outro, isso vai se refletir no presente dado! Se ela compra alguma coisa só pra cumprir com o protocolo isso também vai se refletir no presente dado — e será um sinal de que algo não vai bem. Simples assim!🙂


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: