Missão de vida

Não sei se você, leitor(a), pensa da mesma forma que eu, mas tem uma coisa que me assombra frequentemente: ter um propósito na vida. Não é tipo querer encontrar uma coisa bacana pra fazer profissionalmente. Quero dizer, até tem isso também. Mas não é disso que eu estou falando agora.

Eu sempre penso nas coisas que eu gostaria de fazer antes de morrer. E, ultimamente, tenho sentido uma certa agonia sempre que olho pro mapa mundi: dificilmente conhecerei todos os lugares bacanas do mundo durante minha vida. Será quase impossível ler, ver e ouvir todas as grandes obras já criadas (e aquelas que, espera-se, ainda serão feitas), experimentar todos os tipos de culinária…

É uma tristeza pensar que tem um mundo enorme lá fora, com tantas coisas a oferecer e, por mais que queiramos (e tenhamos condições, principalmente financeiras, pra isso), conseguiremos ter contato com uma porcentagem ridiculamente pequena dessas coisas.

Por isso estabeleci, como meta de vida, que vou viajar pra algum lugar interessante sempre que possível. Vou vencer meus medos (de avião, de conhecer lugares novos etc) e vou fazer de tudo pra conhecer lugares novos, pra acumular o máximo de conhecimento e experiências que eu conseguir!

(Já venci um deles, com a ajuda da minha noiva: fui viajar de avião depois de mais de 20 anos — e depois de ter tido uma experiência um tanto traumática em 1986, quando voei pela primeira vez. E aí eu percebi que não é tão ruim assim, e já estou pensando na próxima viagem…)

• – • – •

Recentemente fiquei sabendo da morte de pessoas relativamente próximas; cheguei, inclusive, a pegar metrô com uma delas algumas vezes.

Sempre que isso acontece me pergunto se essas pessoas conseguiram realizar tudo aquilo que gostariam, se elas morreram felizes apesar dos pesares.

Eu até tinha uma teoria segundo a qual as pessoas morrem apenas depois de sentirem que já cumpriram seu papel no planeta. Não sei se todas as pessoas tem essa “sorte”; talvez algumas acabem estando no lugar errado e na hora errada, e tenham sua vida abreviada. Mas já vi situações em que as pessoas já haviam feito tudo o que gostariam de ter feito e, ao acontecer aquela coisa especial (tipo o nascimento de um neto, por exemplo), simplesmente “se retiram” do mundo. Sei lá, pode ser simples coincidência… mas eu gosto de acreditar que temos uma espécie de missão nesse mundo.

Na medida do possível estou tentando descobrir a minha. Mas está tão difícil…

Explore posts in the same categories: Pensamentos

2 Comentários em “Missão de vida”


  1. pô Zé… “conseguiremos ter contato com uma porcentagem ridiculamente pequena dessas coisas.” — ficou chateado só pq viu que o Trip Advisor não sai do 1%???

    e vc tá pegando metrô com gente morta??? que coisa mais punk….

    ehehehhe… tirando as tiradas, compartilho da opinião :p


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: