Estar junto…

Já é o terceiro ou quarto fim de semana que passamos juntos a sexta, o sábado e o domingo. Direto, como se fôssemos um casal já casado. Aliás, parece até que a gente meio que “brinca” de casal mesmo! Gostamos de fazer de conta que já moramos juntos faz tempo. E, em alguns fins de semana, fizemos o que qualquer casalzinho recém casado faria: fomos jantar fora, viajamos, visitamos parentes, ficamos em casa assistindo TV, cozinhando (pipoca, inclusive) e, em alguns momentos, fazendo nada, apenas conversando sobre amenidades.

Nada tem sido forçado. Pelo menos é o que eu sinto. E parece que, quanto mais tempo passamos juntos, mais vontade sentimos — e mais nos divertimos também.

Passamos o último fim de semana fazendo algo que poderia ser considerado um programa de índio para muitos: pintamos a casa dela. E foi um dos fins de semana mais divertidos que tivemos!

• – • – •

Num relacionamento “correto” não existe persuasão. O casal simplesmente se entende, sem um tentar impor sua opinião sobre o outro. A vontade de estar juntos vem naturalmente, e não é porque um quer que os dois precisam querer.

O motivo pelo qual eu comecei esse assunto é que a liberdade e o diálogo que tenho agora são algo que eu não me lembro de ter tido nos relacionamentos anteriores. Em alguns deles, inclusive, havia uma pressão pra que as coisas sempre acontecessem do jeito dela. Felizmente eu tenho consciência de que ninguém precisa se sujeitar a isso. Libertei-me a tempo de conhecer o que é um relacionamento de verdade!

• – • – •

Se você se sente forçado/a a estar com alguém, pense se você realmente deveria estar com essa pessoa. A vontade de estar junto deve surgir naturalmente; se você se relaciona com alguém por alguma obrigação você pode estar fadado a uma vida infeliz. Liberte-se!

Explore posts in the same categories: Aleatórios, Pensamentos

One Comment em “Estar junto…”

  1. Amora Says:

    Tem uma música do Leoni que diz “Ainda encontro a fórmula do amor”… a verdade é que não basta encontrar a fórmula (porque se pararmos para analisar, ela nem existe de verdade).

    Até podemos usar como ilustração aquela velha equaçãozinha matemática:

    relacionamento = 1 + 1 >= 2

    onde duas pessoas que formam um casal, um par, duas pessoas diferentes que somam experiências.

    A partir do momento que um quer impor suas vontades/opiniões sobre os outros, a matemática deixa de ser

    1 + 1 >= 2

    e vira

    0,25 + 0,75 =< 1 ou ainda 1 – 1 =< 0

    onde uma parte se impõe sobre a outra e apenas uma pessoa se satisfaz; ou nenhuma das duas se satisfaz totalmente, e juntando o que os dois sentem, não há sentimento suficiente para preencher nem mesmo 1 coração. Acaba que não sobra nada.

    Não se trata de racionalizar o relacionamento, ou reduzí-lo a uma simples equação. Ao contrário: trata-se de simplificar o que as pessoas costumam complicar. De adicionar "tempero" (ou amor) à relação. Trata-se de doar-se e respeitar um ao outro para obter muito mais que 2.

    A continha é simples, mas muita gente esqueceu ou ainda não aprendeu essa "fórmula do amor".


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: