Medo de não amar mais

Já faz um tempo que eu não amo nada nem ninguém. É triste dizer isso, eu sei, mas realmente não consigo.

Não me importo com as pessoas como eu acho que eu deveria — e como algumas delas merecem. Tenho me visto um tanto insensível. Quando as pessoas à minha volta manifestam amor e carinho umas com as outras já interpreto aquilo como frescura; em alguns momentos chego a duvidar dos “eu te amo” trocados por elas.

Acho que eu deixei de acreditar no amor, assim como se deixa de acreditar em Papai Noel: com a frustração de ter sido iludido por algo que nunca existiu.

Ultimamente aquela “chama” que o amor deveria ser tem durado tanto quanto uma fagulha, apagando-se logo depois do primeiro beijo — ou do terceiro encontro. Isso me faz questionar se o amor realmente existe ou se é coisa da nossa cabeça, se é algo que nossos pais e o mundo à nossa volta ensinam que existe e a gente passa a acreditar por acomodação ou conveniência.

Será que eu perdi a capacidade de amar? Ou será que é apenas uma questão de encontrar alguém que desperte aquele sentimento em mim? Ou será, ainda, que eu realmente estou certo e o amor não existe?

Explore posts in the same categories: Pensamentos

6 Comentários em “Medo de não amar mais”

  1. Fernanda Says:

    O amor existe, ele precisa ser alimentado de bons sentimentos. O que sente ainda deve ser reflexo do que viveu e passou. Talvez todo esse vazio seja porque suas feridas nao cicatrizaram.

    • autoajudasentimental Says:

      Pois é, às vezes eu acredito nisso tb. Mas poxa, já passou tanto tempo… acho q eu já deveria estar pronto pra outra, né? Sei lá…


  2. vc precisa ler “Ria da minha vida antes que eu ria da sua”. compre os 3 livros. o quarto livro será lançado em fevereiro. esse vc compra tb e me empresta depois kkkk…

    leia e terá suas respostas…

    • autoajudasentimental Says:

      Mano… é a 25a vez q vc me fala desse livro. Tá quase me convencendo a comprar! hahahahaha

  3. Gabriel Says:

    Cara, até alguns meses atrás eu pensava exatamente como vc. Era totalmente insensível com tudo, isso até me incomodava e eu sabia que afetava as pessoas que se importavam comigo. Até que perdi um irmão e percebi que eu amava sim ele e toda minha família e alguns bons amigos, era como se aquele sentimento tivesse aflorado. Notei que na verdade antes eu bloqueava qualquer afeto que brotasse dentro de mim, principalente por medo e vergonha de encará-lo, como se eu fosse menos homem por sentir afeto a alguém. Te aconselho a se permitir sentir amor pelas pessoas que vc tem por perto, pq nao sabemos até quando estaremos perto delas, e se vc parar pra refletir é o que temos de mais importante na vida…


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: