Vaidade

Gosto muito de O Advogado do Diabo. O enredo é bem bacana, a Charlize Theron está nele (fato que, por si só, já me faria ficar na frente da TV durante todo o filme) e o Keanu Reeves me fez botar fé nos seus talentos de atuação — tem uma única cena, em que ele chora, que vale por toda a carreira dele. Ah, sim: tem o Al Pacino também, cuja trajetória no mundo de faz de conta do cinema dispensa palavras. Al Pacino também diz a frase que mais me marcou nesse filme: “Vaidade: certamente meu pecado favorito”.

A vaidade é perigosa. Pois ela se disfarça, e geralmente temos dificuldade em admitir que estamos sendo guiados por ela. “Defesa da honra”, “orgulho de não precisar de ajuda”, “não dar o braço a torcer”… damos diferentes nomes à vaidade, dependendo das circunstâncias.

A pessoa que sai falando por aí como a vida dela é incrível e como ela faz coisas brilhantes. O cara que lutou pra conquistar a fama e esquece daqueles que o ajudaram a chegar lá. Aquele outro cara que descobre uma traição e releva pra não fazer muito alarde — ou faz justiça com as próprias mãos. A outra que briga pela última palavra pois quer terminar a discussão por cima. Todos são vaidosos. Todos querem, no fundo, se sentir superiores.

Amizades e relacionamentos são desfeitos por causa disso. Conflitos bobos tomam um vulto desnecessário e acabam prejudicando quem estava bem intencionado no fim das contas. E assim nossa vida segue…

Eu mesmo deixo a vaidade me dominar em diversos momentos. Às vezes me pego pensando que a minha ex deve estar comendo o pão que o diabo amassou — e aí me lembro que isso não faz diferença agora e, no fundo, isso é um desejo inconsciente meu. Daí percebo que preciso policiar esses pensamentos pra que eles não me dominem.

Também fico me vangloriando de como estou bem agora que não tenho qualquer compromisso emocional. Mas, por mais que estar sozinho seja divertido, preciso me controlar pra dizer que não preciso de ninguém. Todos nós precisamos da ajuda de outros! Muitas vezes deixamos de nos relacionar com alguém e, mais adiante, esse alguém é justamente a pessoa que vai quebrar um galhão pra gente. Não é?

Por um mundo melhor: vamos engolir nosso orgulho? Vamos controlar nossa vaidade e manter relacionamentos saudáveis com as pessoas?

Explore posts in the same categories: Pensamentos

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: