13 de maio

Hoje é meu aniversário. Acordei pensando em como essa data perdeu a importância pra mim. Não que eu não goste quando meus amigos me ligam pra dar os parabéns; ao contrário, se alguém de quem eu goste muito não entra em contato nesse dia eu fico um tanto aborrecido por essa pessoa não ter se lembrado. Mas a data em si não significa tanto pra mim quanto significava antes.

Vejamos: quando eu era criança eu ganhava um monte de presentes, meus pais preparavam festa (muitas vezes rolava alguma coisa durante a semana e depois uma festança no sábado — sempre com a minha irmã mais velha, que faz aniversário um dia antes), tinha aquela coisa de “mais um ano de vida e logo, logo vou ter 18 e vou poder fazer o que quiser”. Acho que eu tinha expectativas maiores do que as que eu tenho agora.

Hoje a única coisa que fez meu dia diferente foi fato de as pessoas me cumprimentarem, me desejarem felicidades. De resto o dia foi igual a qualquer outro: trabalhei (e como!), saí pra almoçar com o pessoal, voltei pro escritório pra trabalhar mais… e logo mais estou indo pra casa dos meus pais pra falar um oi. Um dia normal.

Antes eu tinha sentimentos com relação ao meu aniversário: criava expectativas, ficava felizinho quando a data se aproximava… hoje em dia vejo as coisas de forma mais racional: é um dia como outro qualquer, em que não tenho privilégios e não sou diferente de ninguém; é só mais um ciclo completado.

Acho que de certa forma isso tem acontecido também com meus relacionamentos: a empolgação por estar com outra pessoa, aquela “paixãozinha”, se mantém apenas nos primeiros dias, e aí o lado racional fala mais alto. Talvez por isso minhas tentativas anteriores de me relacionar com alguém não deram certo: eu acabei analisando a situação, tentando prever o relacionamento a médio e longo prazo e via que não tinha muita chance de dar certo. Se é certo ou errado eu não sei; só sei que eu mudei minha postura no que diz respeito a relacionamentos. Talvez isso seja um sinal de maturidade. Será?

• – • – •

Antes que eu pareça ranzinza demais: além dos cumprimentos de várias pessoas que eu adoro (valeu, galera!) outra coisa bacana que aconteceu hoje foi que a minha irmã decidiu desenterrar o CD If I Were a Carpenter, que eu comprei em 1994 (faz tempo, hein?). Ouvimos duas vezes antes de eu sair de casa pra vir pro trabalho, e eu me lembrei de um monte de coisas legais (e outras nem tanto) que aconteceram nos últimos 16 anos. O CD tem várias músicas bacanas, mas uma que me fez refletir bastante durante o dia de hoje foi a primeira faixa, Goodbye to Love:

I’ll say goodbye to love
There are no tomorrows for this heart of mine
Surely time will lose these bitter memories
And I’ll find that there is someone
To believe in and to live for
Something I could live for

Tá, talvez a música tenha uma mensagem meio triste pra vocês. Mas é que ela é bonita, poxa!

Explore posts in the same categories: Pensamentos

Tags: , , , , , , ,

You can comment below, or link to this permanent URL from your own site.

6 Comentários em “13 de maio”

  1. Isabel Says:

    Aceita cumprimentos atrasados?

    Feliz aniversário! ^^

  2. pati Says:

    olá, e parabéns atrasado!
    leio seu blog há pouco tempo.
    passo por um momento delicado na minha relação, que terá um fim em breve.
    estou tentando “arquivar” todos os conselhos e histórias que tenho lido e recebido, para talvez aliviar o que já sinto e me ajudar nos momentos ruins que estão por vir.
    será que pode me ajudar?
    email?
    obrigada!

  3. amorsemrazao Says:

    A maturidade torna os relacionamentos menos empolgantes? Ou nos torna mais descrentes? Com 18 anos, você sonha, planeja, cria inúmeras cenas em todos os pequenos flertes e romances que vive. Passado um tempo, aos 30, você passa a buscar alguém que além de sonhar, queira realmente concretizá-los, passa a ver como é decepcionante uma pessoa “estar com 30 e viver com 15”. Independente disto é sempre bom comemorar mais um ano de vida, olhar para tras e ver tudo os que aconteceu em meros 365 dias, não olhar pelo lado rotineiro da coisa, mas pensar em planos, desejos, conquistas e derrotas, porque a verdade é, deveríamos fazer isto no aniversário e não no ano novo!

    feliz aniversário, muitos anos de vida e sabedoria!

    • autoajudasentimental Says:

      Obrigado pelo comentário e pelos votos de felicidade!🙂

      Pois é, a grande pergunta é essa: a maturidade tira a empolgação dos relacionamentos ou faz com que tenhamos mais os pés no chão, com que busquemos terreno mais firme nos relacionamentos?

      Eu acredito que a maturidade nos faz enxergar melhor como um relacionamento deve ser. Quando somos imaturos emocionalmente imaginamos que é possível manter a paixão pro resto da vida, que podemos encontrar alguém que amaremos até o fim de nossos dias. Qyando amadurecemos vemos que os sentimentos se transformam com o tempo — e não há nada de errado nisso! O importante é entender por que estamos com aquela pessoa.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: