A voz do povo…

Andei lendo algumas coisas por aí sobre relacionamentos que me fizeram pensar. Às vezes as pessoas decidem ficar com a verdade mais cômoda mesmo sabendo que ela nem é tão verdadeira assim. Há duas coisas que parecem ser quase unanimidades que me chamam a atenção. Aí vão:

1) Aquela coisa de dizer que não podemos pensar que um relacionamento não deu certo porque acabou, pois ele deu certo, sim. Ora, se acabou não deu certo! Pra mim um relacionamento bem sucedido só acaba quando uma das pessoas envolvidas morre. Se um bolo sai perfeito do forno e logo depois murcha ele “deu certo”? Se uma casa desaba depois de ser construída pode-se dizer que a construção foi bem sucedida até o momento em que alguém decidiu habitá-la? Não vamos nos iludir: se um relacionamento acaba é porque ele não deu certo e pronto!

2) Afirmar que a culpa pelo fim de um relacionamento é de ambas as partes. Logo que o meu terminou eu até acreditei nisso, e dizia que eu tinha minha parcela de responsabilidade por tudo o que aconteceu. Porém hoje vejo que eu não poderia ter me dedicado mais a ela, e foi ela quem não soube valorizar meu amor e dedicação. Sendo assim estou isento de culpa. Provei que, em alguns casos, a culpa unilateral é possível.

Não dá pra levar algo em conta só porque todo mundo diz ou acredita nisso. Há exceções, e elas são mais comuns do que se pensa! É o que dizem por aí (e nessa frase eu boto fé): toda unanimidade é burra.

Explore posts in the same categories: Pensamentos

Tags: , , , , , ,

You can comment below, or link to this permanent URL from your own site.

3 Comentários em “A voz do povo…”

  1. marina Says:

    acho q esse negocio de “eles viveram felizes para sempre” so funciona em contos de fadas, é uma grande ilusão acreditar no até que a morte nos separe imposta pela igreja catolica quando deveria ser, ate que a falta de amor nos separe. Nada foi feito pra durar as coisas se transformam o tempo todo e não seria diferente com sentimentos. As coisas acontecem conforme nossas necessidades. Talvez fosse a hora de ela aprender a dar valor nas coisas e vc a se valorizar e valorizar a vida.

    • autoajudasentimental Says:

      Então, Ma… eu acho que o “viveram felizes para sempre” é possível, sim. Ou pelo menos era possível numa época em que se dava mais valor ao casamento, às conquistas em conjunto. Se a gente olhar pros nossos pais, tios, avós, bisavós dá pra encontrar um monte de exemplos de casais que permaneceram unidos até a morte, alguns deles nem tão felizes assim mas outros ainda unidos por um sentimento (amor? respeito? amizade?) por anos e anos.

      Em julho fui visitar uns parentes do meu pai em Minas Gerais. Ele tem um tio de 80 anos, e a esposa dele deve ter uns 72, se eu não me engano. O carinho que eles (ainda) tem um pelo outro é comovente! E olha que eles passaram por muita, muita coisa, boa e ruim, juntos. O relacionamento deles (ou pelo menos a parte da qual tomei conhecimento) é algo que eu busco pra mim: se um dia eu vier a casar novamente quero que seja desse jeito!

      Mas o ponto na verdade é o seguinte: o povo tem essa mania besta de dizer que o relacionamento deu certo até o fim, mas isso é a pior ilusão que existe. Se acabou é porque não deu certo, se não acabou é porque deu e ponto! hahahhahah


  2. Exatamente, parece q as coisas só funcionavam antigamente, pq as crenças eram outras, hj as pessoas pensam cada vez mais em si e isso inclui, se não ta bom, não preciso mais e não se apegam mais as crenças de nossos pais e avós que achavam, q se não ta bom paciência mais vou ter q ir até o fim pq me comprometi a isso.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: